Síndrome De Cushing

A síndrome de Cushing é uma doença causada por altos níveis de cortisol. Também é conhecido como hipercortisolismo. A síndrome de Cushing pode ser causada pelo fato de o corpo produzir muito hormônio cortisol ou por tomar corticosteroides orais por um longo período de tempo. Esta doença é mais comum em mulheres.

Sintomas da síndrome de Cushing

Os sintomas da síndrome de Cushing estão listados abaixo:

  • Ganho de peso
  • Acúmulo excessivo de gordura no rosto, rosto em formato de lua
  • Corcunda como resultado do acúmulo de gordura entre os ombros (corcunda de Buffalo)
  • Rachaduras roxas profundas e rosa no abdômen, braços e pernas
  • Fácil hematoma na pele
  • Difícil cicatrização de feridas na pele
  • Fadiga, fraqueza
  • Acne
  • Irregularidades menstruais e crescimento excessivo de pelos em mulheres
  • Açúcar alto no sangue
  • Não beba muita água
  • Micção frequente
  • Osteoclasis
  • Pressão alta (hipertensão)
  • Dores de cabeça freqüentes
  • Problemas de humor, ansiedade, irritabilidade, depressão
  • Aumento da incidência de infecção
  • Baixo desempenho sexual e falta de desejo sexual
  • Problemas de fertilidade

Causas da síndrome de Cushing

A síndrome de Cushing é causada por um excesso de hormônio cortisol. O hormônio cortisol é produzido pelas glândulas supra-renais.

O hormônio cortisol auxilia as funções do seu corpo, incluindo:

  • Ele regula a pressão arterial e o sistema cardiovascular.
  • Ele reduz a resposta inflamatória do sistema imunológico e tem efeito sobre a inflamação.
  • Permite a conversão de carboidratos, gorduras e proteínas em energia.
  • Ele equilibra os efeitos da insulina.
  • Controla a resposta ao estresse.

Seu corpo pode produzir altos níveis de cortisol por uma série de razões, incluindo:

  • Altos níveis de estresse, incluindo estresse relacionado a uma doença aguda, cirurgia, lesão ou gravidez, especialmente no último trimestre
  • Alto desempenho atlético
  • Não basta alimentar
  • Alcoolismo
  • Depressão, transtornos de pânico ou altos níveis de estresse emocional

Corticosteróides

A causa mais comum da síndrome de Cushing é o uso de altas doses de corticosteroides, como a prednisona, por um longo período. 

Altas doses de esteróides injetáveis ​​para o tratamento de dores nas costas também podem causar a síndrome de Cushing. No entanto, esteróides em baixa dosagem na forma de inaladores e cremes prescritos para eczema, como os usados ​​para asma, geralmente não causam a síndrome de Cushing.

Tumores

Vários tipos de tumores também podem levar à alta produção de cortisol.

Alguns deles incluem:

  • Tumores da glândula pituitária (adenoma hipofisário): A glândula pituitária estimula a produção de cortisol nas glândulas supra-renais por meio do hormônio adrenocorticotrópico (ACTH). Os tumores da glândula pituitária causam a síndrome de Cushing ao liberar muito hormônio adrenocorticotrófico (ACTH). A síndrome de Cushing, causada pela produção excessiva de ACTH pela hipófise e elevação do cortisol, também é chamada de doença de Cushing.
  • Tumores ectópicos: São tumores localizados fora da glândula pituitária. Eles geralmente ocorrem no pulmão, pâncreas, tireóide ou glândula timo.
  • Anormalidade da glândula adrenal ou tumor: Uma anormalidade adrenal ou tumor pode levar à produção irregular de cortisol que pode causar a síndrome de Cushing.
  • Síndrome de Cushing familiar: Embora a síndrome de Cushing não seja tipicamente hereditária, é possível ter uma propensão hereditária para desenvolver tumores das glândulas endócrinas.

Doença primária da glândula adrenal

Distúrbios das glândulas supra-renais podem fazer com que produzam muito cortisol. O mais comum é um tumor não canceroso do córtex adrenal denominado adenoma adrenal, mas apenas uma pequena fração dos adenomas produz cortisol em excesso. Os tumores cancerosos do córtex adrenal são raros, mas também podem causar a síndrome de Cushing. Ocasionalmente, o aumento nodular benigno de ambas as glândulas adrenais pode causar a síndrome de Cushing.

Diagnosticando a síndrome de Cushing

Será fácil diagnosticar a sua doença se tiver sintomas específicos da síndrome de Cushing (corcunda de búfalo, rosto em forma de lua), mas se não tiver sintomas específicos nas fases iniciais, se tiver sintomas gerais que só podem ser causados ​​por muitas doenças como ganho de peso e fadiga, o diagnóstico da doença pode ser um pouco difícil.

É importante consultar um endocrinologista para o diagnóstico da síndrome de Cushing.

Seu médico pode solicitar exames laboratoriais para diagnosticar a doença, incluindo:

  • Teste de cortisol na urina de 24 horas: Para este teste, você será solicitado a coletar sua urina ao longo de um período de 24 horas. Nessa urina coletada posteriormente, os níveis de cortisol serão testados.
  • Medição de cortisol na saliva: Os níveis de cortisol têm valores diferentes em vários momentos do dia. Este teste mede o nível de cortisol em uma amostra de saliva coletada em determinados momentos ao longo do dia para ver se os níveis de cortisol estão muito altos.
  • Teste de supressão de dexametasona em dose baixa: Para este teste, você receberá uma dose de dexametasona no final da noite. Seu sangue será testado para os níveis de cortisol pela manhã. Normalmente, a dexametasona faz com que os níveis de cortisol caiam. Isso não acontecerá se você tiver síndrome de Cushing.
  • Teste do hormônio adrenocorticotropina (ACTH): Os níveis de ACTH no sangue são medidos. Níveis baixos de ACTH e níveis elevados de cortisol podem indicar a presença de um tumor nas glândulas supra-renais.
  • Teste de estimulação do hormônio liberador de corticotropina (CRH): Neste teste, é administrada uma dose de CRH. Isso aumentará os níveis de ACTH e cortisol em pessoas com tumores hipofisários.
  • Teste de supressão de dexametasona em alta dose: É o mesmo que o teste em baixa dose, exceto que uma dose mais alta de dexametasona é usada. Se seus níveis de cortisol caírem, você pode ter um tumor hipofisário. Caso contrário, você pode ter um tumor ectópico.
  • Amostragem do seio petroso: O sangue é coletado de uma veia próxima à hipófise e também de uma veia distal da hipófise. É administrada uma dose de CRH. Níveis elevados de ACTH no sangue próximo à hipófise podem indicar um tumor hipofisário. Níveis semelhantes de ambas as amostras indicam um tumor ectópico.
  • Testes de imagem: Podem incluir coisas como tomografias e ressonâncias magnéticas. Eles são usados ​​para visualizar as glândulas supra-renais e pituitárias para detectar tumores.

Tratamento da síndrome de Cushing

O principal objetivo dos tratamentos para a síndrome de Cushing é reduzir o alto nível de cortisol. O melhor tratamento depende da causa da síndrome. As opções incluem:

Reduzindo o uso de corticosteroides

Se a causa da síndrome de Cushing for o uso prolongado de medicamentos corticosteroides, seu médico pode controlar a doença enquanto mantém os sinais e sintomas da síndrome de Cushing sob controle, reduzindo a dosagem do medicamento por um período de tempo. Não reduza a dose dos medicamentos corticosteróides nem pare de tomá-los sem consultar o seu médico. Faça isso apenas sob a supervisão do seu médico.

A descontinuação repentina desses medicamentos pode levar a níveis insuficientes de cortisol. A redução lenta dos medicamentos corticosteróides permite que seu corpo mantenha a produção normal de cortisol.

Operação

Se a causa da síndrome de Cushing for um tumor, seu médico pode recomendar a remoção cirúrgica completa. Os tumores hipofisários são normalmente removidos por um neurocirurgião com uma operação que pode ser realizada pelo nariz. Para um tumor nas glândulas supra-renais, pulmões ou pâncreas, o cirurgião pode removê-lo com cirurgia padrão ou usando técnicas cirúrgicas minimamente invasivas por meio de incisões menores.

Após a cirurgia, você precisará tomar medicamentos de reposição de cortisol para fornecer ao corpo a quantidade certa de cortisol. Na maioria dos casos, você acabará retornando à produção normal do hormônio adrenal e seu médico poderá reduzir os medicamentos de substituição. Seu endocrinologista fará exames de sangue para ajudar a determinar se você precisa de reposição de cortisol e quando ela pode ser interrompida.

No entanto, esse processo pode levar um ano ou mais. Em alguns casos, as pessoas com síndrome de Cushing nunca retornam à função adrenal normal. Então, eles precisam de terapia de reposição para toda a vida.

Radioterapia

Se o cirurgião não for capaz de remover completamente o tumor hipofisário, ele geralmente recomendará a radioterapia além da cirurgia. Somente radiação pode ser usada para pessoas que não são candidatas adequadas à cirurgia.

A radiação pode ser administrada em pequenas doses ao longo de um período de seis semanas, ou por uma técnica chamada radiocirurgia estereotáxica. No segundo procedimento, uma grande dose única de radiação é aplicada ao tumor, minimizando a exposição à radiação para os tecidos circundantes.

Medicamento

Os medicamentos podem ser usados ​​para controlar a produção de cortisol quando a cirurgia e a radiação não funcionam. Os medicamentos podem ser usados ​​para melhorar os sinais e sintomas antes da cirurgia e para minimizar o risco cirúrgico em pessoas que estão muito doentes com a síndrome de Cushing. O tratamento médico pode não curar completamente todos os sintomas do excesso de cortisol.

Os medicamentos que controlam a produção excessiva de cortisol na glândula adrenal incluem cetoconazol, mitotano (Lysodren) e metirapona (Metopirona).

Mifepristone (Korlym, Mifeprex) é aprovado para pessoas com síndrome de Cushing que têm diabetes tipo 2 ou intolerância à glicose. O mifepristone não reduz a produção de cortisol, mas bloqueia o efeito do cortisol em seus tecidos.

Os efeitos colaterais desses medicamentos incluem fadiga, náusea, vômito, dor de cabeça, dores musculares, pressão alta, baixo teor de potássio e inchaço. Alguns têm efeitos colaterais mais graves, como efeitos colaterais neurológicos e toxicidade hepática.

Medicamentos mais recentes para a síndrome de Cushing, pasireotida (Signifor) administrado como injeção duas vezes ao dia e oscilodrostato (Isturisa), uma pílula, são usados ​​no tratamento. Além desses, está disponível em novos medicamentos em desenvolvimento.

Em alguns casos, o tratamento do tumor faz com que a glândula pituitária ou adrenal não produza outros hormônios em quantidade suficiente. Nesses casos, seu médico recomendará medicamentos de reposição hormonal.

Se nenhuma dessas opções de tratamento for adequada ou eficaz, seu médico pode recomendar a remoção cirúrgica de suas glândulas supra-renais (adrenalectomia bilateral). Este procedimento melhorará a produção excessiva de cortisol, mas você precisará tomar medicamentos para o resto da vida.

Recomendações de nutrição e estilo de vida

Algumas dicas dietéticas para pessoas com síndrome de Cushing incluem:

  • Monitore sua ingestão de calorias: é importante controlar sua ingestão de calorias, pois o ganho de peso é um dos principais sintomas da síndrome de Cushing.
  • Tente evitar o consumo de álcool: O consumo de álcool foi especificamente associado a um aumento nos níveis de cortisol. Portanto, será útil limitar a ingestão de álcool.
  • Esteja atento ao seu açúcar no sangue: A síndrome de Cushing pode levar ao aumento do açúcar no sangue, portanto, tente não comer alimentos que podem causar picos de açúcar no sangue. É importante comer alimentos com baixo índice glicêmico e carga glicêmica.
  • Reduzir o sódio: A síndrome de Cushing também está associada à pressão alta (hipertensão). Portanto, tente limitar a ingestão de sódio. Algumas maneiras fáceis de fazer isso são evitar adicionar sal aos alimentos e ler os rótulos dos alimentos com atenção para verificar o teor de sódio.
  • Certifique-se de obter cálcio e vitamina D suficientes:  A síndrome de Cushing pode enfraquecer seus ossos e torná-lo sujeito a fraturas. O cálcio e a vitamina D podem ajudar a fortalecer os ossos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here