Tumores do plexo coróide

Esses tumores se originam do tecido cerebral chamado “plexo coróide”. Eles geralmente invadem tecidos próximos e se espalham por uma grande área através do líquido cefalorraquidiano. Os tumores do plexo coróide quase sempre ocorrem nos ventrículos.

Uma classificação foi feita pela Organização Mundial da Saúde, assim como outros tumores cerebrais.
Os tumores do plexo coróide são classificados de três maneiras diferentes.

  • Tumores grau 1 do papiloma do plexo coróide e benignos.
  • Os papilomas atípicos do plexo coróide são considerados de grau 2 e considerados moderadamente malignos.
  • Os carcinomas do plexo coróide são tipicamente tumores de grau 3. É considerado altamente maligno.

O papiloma do plexo coróide é um tumor raro e benigno (não canceroso). O carcinoma do plexo coróide é uma forma maligna do papiloma do plexo coróide.
Os tumores do plexo coróide são vistos principalmente em crianças.

Sintomas do tumor do plexo coróide

Os sintomas dos tumores do plexo coróide dependem da localização do tumor. Pessoas com tumores do plexo coróide podem ter aumento da pressão dentro do crânio devido à produção excessiva de líquido cefalorraquidiano ou ao bloqueio do fluxo normal do líquido cefalorraquidiano. Esse problema é conhecido como hidrocefalia. Os sinais e sintomas da hidrocefalia podem incluir náusea, vômito, irritabilidade, dor de cabeça, visão turva ou visão dupla, tendência para dormir e convulsões.

O que é papiloma do plexo coróide?

O papiloma do plexo coróide é uma neoplasia benigna do plexo coróide, uma estrutura feita a partir de grupos de vilas dentro do sistema ventricular que produz líquido cefalorraquidiano (LCR). Os papilomas do plexo coróide geralmente são vistos nos ventrículos laterais de crianças, mas também podem ser vistos em adultos. Embora a maioria dessas neoplasias seja benigna, uma pequena porcentagem pode ser maligna.

Os papilomas do plexo coróide compreendem aproximadamente 1% das neoplasias intracranianas, mas 2-4% nas crianças. A localização mais comum é o átrio em crianças e o quarto ventrículo em adultos. O papiloma do plexo coróide geralmente cresce muito lentamente e não se espalha para fora do cérebro.

O que é carcinoma do plexo coróide?

O carcinoma do plexo coróide é o tumor mais maligno do plexo coróide. Os sintomas clínicos são geralmente como em tumores menos agressivos; no entanto, geralmente é observado um tumor grande e irregular com contraste heterogêneo. O edema e a disseminação do tumor também podem estar presentes nas estruturas circundantes. Metástase estava presente em 21% dos casos no momento do diagnóstico. Os carcinomas do plexo coróide são muito mais raros que os papilomas e tendem a ocorrer em crianças pequenas. A taxa de sobrevida em 5 anos nos carcinomas do plexo coróide é de 40%. Em casos raros, pode ocorrer disseminação para fora do sistema nervoso central.

Diagnóstico do tumor do plexo coróide

Para diagnosticar o tumor do plexo coróide, a história detalhada da doença e o exame físico neurológico são o primeiro procedimento. Se o médico suspeitar de um tumor no sistema nervoso central, ele primeiro recorrerá a um método de imagem como a ressonância magnética (RM). Este método é usado para determinar se há um tumor no sistema nervoso central. Além disso, a localização e o tamanho do tumor, sua relação com os tecidos vizinhos e a presença de metástases no cérebro ou no canal cerebrospinal são detectados.

O diagnóstico só pode ser confirmado pelo exame histopatológico do tecido tumoral. É realizada por neurocirurgia para uma amostra de tumor e geralmente todo o tumor é removido durante esse procedimento.

Tratamento do tumor do plexo coróide

  • Cirurgia: A cirurgia é a forma mais comum de tratamento do tumor do plexo coróide, exceto para pacientes que não devem ser submetidos à cirurgia devido à idade, estado geral de saúde ou localização do tumor. O objetivo da cirurgia é remover o tumor sem deixar nenhum resíduo.
    • Na maioria dos pacientes com papiloma do plexo coróide, nenhum outro tratamento é necessário após a remoção completa do tumor. Alguns pacientes podem precisar de desvio para drenar o líquido cefalorraquidiano acumulado.
    • Pacientes com carcinoma do plexo coróide são operados o mais rápido possível e para remover o maior número possível de tumores. Esses pacientes geralmente requerem tratamento adicional com quimioterapia e radiação para matar as células cancerígenas restantes após a cirurgia.
  • Quimioterapia: Drogas poderosas são usadas para matar ou impedir que as células cancerígenas cresçam (se dividam) e produzam mais células cancerígenas. A combinação mais comum de quimioterapia usada para tratar o carcinoma do plexo coróide é ifosfamida (Ifex), carboplatina (Paraplatina, Paraplatina AQ) e etoposídeo (Vepesid, VP-16).
    • A maioria das quimioterapias são injetadas na corrente sanguínea.
    • Alguns medicamentos quimioterápicos podem ser administrados por via oral.
    • A terapia combinada usa mais de uma quimioterapia por vez.
  • Radioterapia: raios X de alta energia ou outros tipos de radiação são usados ​​para matar ou impedir o crescimento de células cancerígenas.
  • Ensaios clínicos: Novas opções de tratamento para o tratamento de tumores do plexo coróide estão em andamento. Se você é elegível, seu médico pode recomendar que você participe desse estudo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here